Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 06h12min   <<


chamadas

Matéria 8738, publicada em 06/08/2009.


:Jéssica Michels

Kathiany usou a linguagem cinematográfica para conduzir suas leituras

Análise dos comerciais de varejo recebe nota 8,0

Jéssica Michels



Ansiedade. Esse era o sentimento de Kathiany de Souza Leite enquanto aguardava a aprovação. A apresentação da defesa de monografia Celebridade x Marca nos comerciais de varejo em TV aconteceu na quarta-feira (5 de agosto), na sala C-20, às 17 horas. O trabalho do curso de Publicidade e Propaganda foi orientado por Lígia Zuculoto e avaliado pelos professores André Scalco e Juliana Bonfante, que lhe atribuíram nota 8,0.

Kathiany deveria ter apresentado sua pesquisa já no primeiro semestre deste ano, mas a monografia, explica, “rumou para caminhos diferentes da ideia original e decidimos adiar e reformular o foco”. Ela dedicou boa parte da defesa para mostrar os resultados das análises dos comercias de TV. Tanto os comerciais quanto os vídeos institucionais das lojas Salfer, Colombo e Casas Bahia foram minuciosamente detalhados. A acadêmica de Publicidade e Propaganda mostrou grande domínio na linguagem cinematográfica ao discutir essas peças plano por plano.

Segundo Kathiany, os comerciais de varejo são iguais, não têm diferenciações, sempre há muitas informações e não é possível que o espectador tenha interesse em assisti-los. Ela falou que as Lojas Salfer saíram na frente porque têm utilizado personalidades famosas nas campanhas recentes, o que agrega valor à mensagem e à marca. Como exemplo desse argumento, foi exibida uma propaganda na qual o ator global Reynaldo Gianecchini anuncia um telefone celular e diz: “Gostou? Leva pra casa”. Em outro vídeo institucional comemorativo dos 50 anos, a estrela é a atriz Fernanda Montenegro.

Juliana Bonfante elogiou o progresso da pesquisa de Kathiany: “Eu vejo com bons olhos o teu trabalho”, disse. Apesar de ter pouca teoria, Juliana acredita que a parte prática ficou bem elaborada, o que tornou a monografia mais clara. De acordo com a professora, é mais válido uma análise prática para os publicitários que não têm tantas afinidades com textos ensaísticos. Ela apontou também que Kathiany mistura os textos em primeira e terceira pessoa. “É melhor você escolher. Eu aconselho ser em terceira pessoa, mas a faculdade te dá essa liberdade”, comentou. Juliana também elogiou o conhecimento técnico da linguagem cinematográfica.

André Scalco falou que a pesquisa da monografia resulta de uma escolha bem interessante de tema, pois não há muitos trabalhos sobre essa área produzidos no Ielusc. Scalco questionou a análise feita já na parte do aprofundamento teórico. “Aqui você já vai colocando comentários e isso tem que estar só na parte do teu desenvolvimento”, frisou. Ele também chamou atenção para algumas frases em que não é possível identificar se aquele que fala é a pesquisadora ou o entrevistado. O trabalho foi recomendado para depósito na biblioteca pela banca, mas vai precisar de uma revisão.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.