Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sexta-feira, 28 de janeiro de 2022 - 03h01min   <<


chamadas

Matéria 9086, publicada em 26/10/2009.


:Jéssica Michels

Publicidade, jornalismo e design avaliaram proximidades e distanciamentos

Debate entre três áreas encerra a Semana Acadêmica

Emanoele Girardi



Encerrando a Semana Acadêmica de Comunicação Social de 2009, os alunos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda do Ielusc juntaram-se aos estudantes de Design da Univille na sexta-feira (23 de outubro) para debater o papel de suas profissões no desenvolvimento de campanhas de comunicação e projetos gráficos. Para compor a mesa foram convidados o professor do curso de Design Elson Ribeiro, o publicitário Evandro Rosa e o professor do curso de Jornalismo Frederico Carvalho. O evento teve início às 19h30 no anfiteatro da instituição.

Os três profissionais convidados falaram sobre propaganda e, em seguida, responderam as perguntas do público. Durante a fala inicial, Rosa afirmou que a tecnologia só automatizou os processos que já eram feitos e, com a maior facilidade, o profissional de publicidade deve ir além das ferramentas e dos recursos tecnológicos: é preciso pensar no perfil do público e do cliente. “Cabe ao profissional abrir os olhos do cliente, que muitas vezes sabe o que quer e não o que precisa”, disse.

O professor de Jornalismo concordou e completou “não é só fazer bonito.” Para Carvalho, os jornalistas também devem ter conhecimento dos recursos gráficos para trabalhar em conjunto com os profissionais dessa área, gerando um trabalho de melhor qualidade. O professor de Design, na mesma resposta, provocou os alunos: “A tecnologia é importante, mas até que ponto isso satisfará o cliente?”. Ribeiro ressaltou que, sejam designers ou publicitários, esses profissionais devem oferecer algo a mais, precisam buscar soluções.

Ao longo da discussão foram comentadas as diferenças entre os diretores de arte e os designers, a importância do conhecimento das técnicas e da divulgação dos trabalhos, as diferenças na grade curricular dos cursos e a influência disso na forma de trabalho dos profissionais. Além disso, o desenvolvimento do trabalho como um projeto e não como obra de arte fez parte do diálogo, expondo a questão da criatividade. “Fazemos algo para ser entendido, não fazemos arte”, disse Rosa.

Para relacionar as três profissões, o professor Frederico Carvalho perguntou: quando o jornalista erra ao fazer publicidade e quando o designer peca ao fazer jornalismo? O publicitário brincou: “O jornalista erra quando tenta ser publicitário” e explicou que a tendência do jornalista é escrever muito. A publicidade, além de transmitir informação, deve despertar o desejo do consumidor. Já Ribeiro lembrou que o designer precisa de tempo para desenvolver os projetos, algo relativamente curto no jornalismo devido à função de informar a população. Entretanto, nenhum deles descartou o papel do jornalista. “Todas as áreas precisam de profissionais da linguagem”, concluiu o professor do curso de Design.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.