Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 06h12min   <<


chamadas

Matéria 9409, publicada em 25/02/2010.


:Eduardo Schmitz

Janaína exibiu um vídeo com imagens do programa

Análise do programa Tribuna do Povo recebe nota 8,5

Mayara Silva



Nem alguns problemas com o microfone, nem o barulho de uma criança brincando com um carrinho impossibilitaram Janaína de Borba Leite de apresentar sua defesa de monografia com o tema: “Tribuna do Povo: estratégia do grotesco, jornalismo e simulacro”, que fazia um estudo de recepção sobre o programa e as formas de persuasão de seu apresentador. Orientada por Jacques Mick, Janaína foi avaliada por Samuel Pantoja Lima e Fernanda Guimarães Cruz e aprovada com nota 8,5 e recomendação de encaminhamentodo trabalho à biblioteca após revisão.

Janaína afirmou ter sido no mínimo inquietante trabalhar com o assunto, pois as pessoas entrevistadas demonstram grande afinidade pelo apresentador e pelo programa. A acadêmica ressaltou que os telespectadores consultados não se chocam com as matérias apresentadas, mesmo contendo sensacionalismo e exploração da dor e sofrimento alheios. “A única coisa que os entrevistados sentem falta é de matérias sobre variedades, que não falem somente de tragédias, mas do cotidiano da cidade, como o transporte público por exemplo”, disse. Ela apresentou um vídeo do programa com imagens do apresentador e deputado Nilson Gonçalves comentando e se defendendo de denúncias feitas contra ele sobre desvio de verbas, onde aparecia se emocionado e pedindo desculpas à filha. Com isso, Janaína quis mostrar a maneira de atuação e persuasão que ele utiliza a partir de sua imagem política dentro do programa.

Samuel gostou de ter lido um texto bem limpo e fluente, contendo marcas da autora. As maiores considerações feitas por ele eram sobre a bibliografia. Disse que faltou citar algumas fontes e explorar alguns livros que trariam mais clareza ao assunto. Elogiou os conceitos sobre simulacro explorados no trabalho e brincou, dizendo que teve de assistir o programa religiosamente em homenagem a Janaína. Um dos pontos negativos apontados por Samuel foi a perda de ritmo das considerações finais, que parecem ter sido escritas por uma pesquisadora 'sem gás'. Outro ponto foi sobre a Casa Amarela, instituição mantida por Nilson Gonçalves, que na pesquisa foi citada como escritório político. Samuel considera um assunto sério e importante, que poderia ter ganhado mais atenção.

Fernanda agradeceu o convite feito pela acadêmica para fazer parte da banca, porque trabalhou com estudos de recepção e sente-se confortável falando sobre o assunto. Ela disse que os estudos foram muito bem feitos e bem apoiados na bibliografia, e que teve uma boa descrição sobre objeto empírico. “Reconhecer a não passividade do receptor foi um dos méritos do trabalho”, afirmou. Fernanda ainda disse que o assunto foi bem escolhido para repensar o jornalismo local. Novamente Janaína foi questionada sobre as bibliografias, que segundo a avaliadora foram escolhidas priorizando o estudo sobre recepção, desfalcando alguns conceitos. Ela concluiu lendo um trecho do trabalho onde a acadêmica deu a entender que as atenções se dispersam quando as pessoas se afastam da TV. “As percepções não se esgotam quando se desliga a televisão”, afirmou.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.