Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 04h12min   <<


chamadas

Matéria 9329, publicada em 23/02/2010.


Assessoria de imprensa tira 7,5 na primeira noite de defesas

Eduardo R. Schmitz



Passava das 22h30, a sala C-18 do Bom Jesus/Ielusc ainda estava cheia para descobrir a pontuação feita pela monografia de Silvério Moraes. Após dez anos de seu ingresso no curso, o estudante conseguiu a nota 7,5 com o tema Jornalismo em Quadra: A Contribuição da Assessoria de Imprensa para o Esporte Amador. O interesse pela pesquisa surgiu durante o seu dia-a-dia na época que fazia a assessoria de imprensa do time de basquete de Joinville.

Os períodos de defesa e arguição transcorreram de forma bem informal, e em alguns momentos lembravam uma palestra ou uma aula expositiva. Mas isso não foi o suficiente para diminuir o aparente nervosismo de Silvério frente a sala repleta de estudantes do primeiro semestre de redação jornalística e amigos, além da banca composta por três assessores de imprensa: Marlise Groth, da Fundação Cultural de Joinville (FCJ); Marília Crispi de Moraes Maciel, também professora no Bom Jesus/Ielusc; e o orientador Guilherme Diefenthaeler, professor na instituição.

O objetivo do estudo de Silvério foi buscar qualificar e quantificar a importância do assessor de imprensa na visibilidade das equipes assessoradas. Contudo, o principal ponto questionado pela banca foi a falta de informações sobre a infra-estrutura do ambiente de trabalho. Outro ponto sugerido para aprofundamento foi os custos de manutenção de uma assessoria esportiva. Tanto Marília quanto Marlise concordaram sobre o trabalho não ter um bom diálogo entre os autores na parte de pesquisa, mostrando um texto com uma forte característica jornalística.

Os principais elogios da banca ao trabalho foram à escolha do assunto. “É um tema (esporte) importante, mas que passa despercebido”, afirmou Marília, completando que faltam profissionais especializados para a cobertura de áreas como essa. Já Marlise comentou da importância de desenvolver uma cultura de comunicação na cidade independente do setor, além de serem mais campos de trabalho para o jornalismo.

Silvério defendeu como amador todo esporte que não seja o futebol. Como seu trabalho pesquisou as equipes Ciser/Araldite/Univille, de basquete; Krona, de futsal; e Tigre/Unisul, de voleibol, essa definição causou uma discordância do estudante com a banca.

Ao final da noite, o orientador brincou dizendo que “esta foi uma noite histórica para o jornalismo do Ielusc”. Silvério iniciou o curso em 2000, mas devido aos horários de trabalho, principalmente durante o período que assessorou o Joinville Esporte Clube (JEC), teve de trancar três vezes a matrícula.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.