Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Segunda-feira, 17 de junho de 2024 - 01h06min   <<


chamadas

Matéria 4417, publicada em 31/05/2007.


Resultados refletem as prioridades de cada curso

Clayton Felipe

O resultado do Enade foi divulgado hoje e a maioria dos estudantes, que conseguiram o conceito 4, numa escala de 0 a 5, ainda não sabe como foi seu desempenho, pois a página do Enade2006 está congestionada. Houve uma pequena diferença de desempenho entre os alunos de publicidade e de jornalismo, uma vantagem de 2,5 pontos para o pessoal de jornal. Quanto ao nível da prova, as opiniões são divergentes.

Os alunos, em suma, não acharam a prova nem fácil nem difícil. Ariadna Stragliotto, que fez a avaliação como ingressante de jornalismo, mudou de opinião depois que viu o resultado: “Eu estava insegura porque havia questões teóricas e práticas na prova, e até o momento nós só havíamos tido contato com as teóricas. Mas não achei a prova difícil, pois mesmo em algumas questões teóricas que não conhecíamos – como semiótica – deu para acertar a pergunta”. Aline Rosa, ingressante de publicidade e propaganda, também não se assustou. “Achei que ia me dar mal. Mas a prova não tava difícil, apenas tinha algumas questões com as quais nós não tínhamos tido contado”, explica.

Juliana Maul, concluinte de publicidade, achou a prova difícil. Ela disse que o resultado é justo, apesar de saber que os alunos poderiam render mais na prova. “É uma questão de contexto. A maioria dos alunos trabalha e tem muita matéria e muita teoria nas aulas, não há tempo para se dedicar. Mas o curso é bom, principalmente os professores”. Ariadna concorda: “Eu acredito que a instituição assegura esse ensino (nota 4 no Enade) pelo corpo docente. Se ouve muita reclamação dos alunos quanto aos computadores, e é claro que é bom melhorar nessa parte também, mas acho que a instituição deve continuar priorizando a qualidade dos professores. Vai muito do aluno também, é a soma das duas coisas”.

Para Aline Rosa, a diferença entre as turmas de publicidade e jornalismo é resultado das prioridades que cada curso exige. “O pessoal de jornal" ,diz a estudante de publicidade, "querendo ou não, lê mais”. “Nós nos focamos em outras coisas”. E completa, revelando que “pelas notas, no ano passado, os calouros de publicidade não levavam tão a sério”. A estudante de jornalismo Ariadna acha que “o jornalista precisa estar mais preparado, precisa de mais carga informativa”. Ela desconfia que a publicidade é mais lúdica. Quanto ao jornalista, “ou ele está preparado ou se perde”.

O diretório acadêmico de comunicação social (Dacs), representado pelo 1º secretário, Tiago André, recebeu o relatório do coordenador do curso, Samuel Lima. Tiago disse que apresentará o relatório para discussão na reunião do diretório. “A preocupação vai ser para manter o conceito”. Talvez seja realizada uma reunião com os alunos para ver o que o corpo discente pensa do resultado e no que isso implica.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.