Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Terça-feira, 30 de novembro de 2021 - 08h11min   <<


chamadas

Matéria 2506, publicada em 29/08/2006.


:Divulgação/Pena Filho

Atualmente Martín é repórter do A Notícia

Martín Fernandez foi selecionado entre mais de 3 mil candidatos

Cláudia Morriesen


“Foi muita sorte”. É assim que o ex-aluno de jornalismo do Ielusc Martín Fernandez define sua aprovação para o curso de jornalismo aplicado do Estadão. Ele foi um dos 30 selecionados entre os 3.164 candidatos que participaram da 16ª edição do concurso, cujo resultado foi divulgado nesse domingo, dia 27 de agosto.

Martín entrou no Ielusc em 1999, na segunda turma de jornalismo, e se formou em 2004. “Preferi fazer o curso com calma, para me dedicar melhor em cada matéria. Também fiquei um ano preparando a monografia”, conta o atual repórter do A Notícia, que concluiu a faculdade com um trabalho sobre a cobertura da imprensa brasileira durante a guerra no Iraque.

Quando perguntado se estudou para o concurso do Grupo Estado, Martín revela que não se preparou de nenhum modo. Ele, aliás, não guardava nenhuma expectativa. “Estava doente e fiz a prova muito rápido, fui o primeiro na sala a terminar. Não tinha nenhuma esperança”. A primeira etapa do concurso correspondia a uma prova de português e conhecimentos gerais e a elaboração de uma matéria redigida a partir de informações fornecidas em inglês.

No entanto, Martín ficou entre os 60 candidatos chamados para uma entrevista e acabou classificado para o curso. Segundo o jovem jornalista, o fator decisivo foram as respostas dadas quanto à disposição para largar o emprego e a rotina atuais e se submeter ao curso intensivo de três meses em São Paulo. E ele afirma que, se necessário, pedirá demissão do atual trabalho para se mudar para a metrópole, uma vez que seu destino na redação ainda é incerto:a decisão de uma possível licença para a realização do programa de estudos ainda não foi negociada com o jornal. Não seria esta uma resolução muito radical? Não para Martín: “É o maior acontecimento na minha carreira até agora. Nenhuma cobertura que eu já tenha feito equivale a essa oportunidade”.

O curso, que foi criado em 1990, é integral e ocorrerá entre 4 de setembro e 8 de dezembro de 2006, na sede do Grupo Estado, em São Paulo. Além de envolver os alunos em atividades jornalísticas, como ir a campo para produzir matérias, promover entrevistas com personalidades de diversos setores e acompanhar as atividades em diferentes redações, são ministradas aulas de filosofia, ética, economia e política. Podem se candidatar ao programa de extensão do Grupo Estado, acadêmicos no último ano do curso de jornalismo e jornalistas formados até dois anos antes de sua realização. Para Martín, essa regra também foi outra questão de sorte: “Se não tivesse levado dois anos a mais para concluir a faculdade no Ielusc, agora estaria fora da competição”.

Veja a prova do concurso do Estadão

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.