Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sexta-feira, 19 de julho de 2024 - 08h07min   <<


chamadas

Matéria 8491, publicada em 02/06/2009.


História das rádios vai virar livro

Bruno Isidoro



Dois ex-alunos e dois professores do Bom Jesus/Ielusc tiveram seus projetos aprovados no Edital de Cultura neste ano e receberão verba do Fundo Municipal de Incentivo à Cultura para colocá-los em execução. Foram avaliados 175 trabalhos e destes, 64 escolhidos. Do teatro ao hip hop, cada categoria teve sua verba destinada para a conclusão dos projetos culturais.

A professora Izani Mustafá inscreveu dois trabalhos, número máximo por participante. Um deles foi escolhido. Alô, alô, Joinville! Está no ar a rádio Difusora! – A radiodifusão em Joinville/SC (1941-1961) foi selecionado na categoria Edição de livro/Literatura de não ficção. O trabalho é resultado de uma dissertação de mestrado em História pela Udesc e reconstitui a formação das três primeiras emissoras de rádio da cidade dentro de um contexto social, econômico e político. A sugestão de documentá-lo em livro veio do jornalista Luiz Artur Ferraretto, um dos avaliadores da banca.

O terceiro critério de avaliação para seleção dos projetos era a “contrapartida social proposta”. Segundo Izani, seu trabalho tem uma relevância social por contar a história de um pedaço da cidade. “Transformando em livro, mais pessoas poderão ter acesso ao material, pois, será distribuído em várias universidades”, explicou o motivo pela inscrição no edital. A professora disse que o trabalho aborda toda uma questão política das rádios na época e todos os vínculos para se conseguir uma concessão. Segundo a jornalista, Ferraretto destacou a importância para documentação do trabalho, pois existe um interesse dos pesquisadores em resgatar a memória das primeiras emissoras de cada região do país.

Para conclusão do livro, Izani pesquisou fontes documentais - como jornais - e fontes orais, como seis radialistas participantes dessa história. Segundo a professora, nem mesmo as rádios têm os materiais daquela época. “É importante até para elas terem esse trabalho documentado”, completou. O projeto da jornalista receberá a ajuda de R$ 9.800. O valor, orçado pela própria autora, financiará a confecção de mil exemplares do livro. Segundo Izani, para a inscrição era necessário fazer um orçamento dos gastos para conclusão do trabalho.

O diretor do ensino fundamental do Ielusc, ator e produtor teatral Samuel Kühn teve aprovada sua proposta de adaptação e montagem para os palcos de O livro de Marco e deve receber R$ 15 mil. Melanie Peter, formada em Jornalismo, e Rodrigo Brum, em Publicidade e Propaganda, foram os ex-ielusquianos contemplados com o resultado do edital. O projeto Gênero e Ritual de Melanie foi selecionado na categoria Artes Visuais e receberá R$ 5.600. Já a transformação para filme em 35mm e distribuição do projeto de Brum, escolhido na categoria Audiovisual, receberá R$ 17.719,30.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.