Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 06h12min   <<


chamadas

Matéria 8043, publicada em 25/03/2009.


:Marcio da Rocha

Cada dia de atraso rende multa de R$ 1,00 ao estudante

Multas ajudam na compra de livros

Marcio da Rocha*



O atraso na entrega de itens rende à biblioteca central do Bom Jesus/Ielusc uma receita de aproximadamente R$ 500,00 mensais. A biblioteca cobra R$ 1,00 por dia para cada livro, DVD ou revista entregue fora do prazo. A bibliotecária Maria da Luz Machado garante que essa soma não é usada somente para a aquisição de novos materiais. “Temos uma verba mensal para ser utilizada na manutenção e ampliação do acervo”. Essa quantia, completa, não tem um valor exato. Depende das indicações que são dadas por professores e também pelas coordenações dos cursos. A coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda do Ielusc, Sônia Regina de Oliveira Santos, sugeriu para esse mês a compra de quatro livros e um DVD. Um deles, o livro “Ética e Responsabilidade Social nos Negócios”, organizado por Patricia Almeida Ashley, Paulo Rogério dos Santos Lima e Roberto do Nascimento Ferreira, já está disponibilizado no acervo.

Maria informa que a instituição já trabalhou com uma verba fixa para a compra de materiais. “O valor era de aproximadamente R$ 4.000,00 semestral, por curso, mas hoje indico exemplares e repasso os valores para o setor financeiro da instituição”. A bibliotecária garante que não há e nunca houve cortes de verbas para a ampliação do acervo. “Às vezes há uma economia de gastos. Estou há onze anos aqui e nunca presenciei esse tipo de medida na bliblioteca”, reforça.

Boa parte dos itens do acervo é adquirida em distribuidoras. Quando são apenas alguns livros, a Livraria Midas é a opção mais adequada. “Já conhecemos bem o trabalho da Midas. Eles nos proporcionam formas de pagamentos que outros comércios não disponibilizam. Quando a quantidade de exemplares é maior optamos pela Distribuidora Curitiba e A Página, de Curitiba”.

A multa, segundo a bibliotecária, se deve a organização do acervo pois alguns alunos não se comprometem a entregar os exemplares no dia do vencimento. Além do valor cobrado pelo atraso, Maria procura conversar com os alunos. “Nós não chegamos e simplesmente cobramos a multa, conversamos com o aluno e, às vezes, valores entre R$ 10,00 e R$ 20,00 podem ser pagos com doações de livros”. Quando as cifras ultrapassam R$ 100,00, pode haver uma negociação. O aluno pode doar alguns livros e completar o restante em dinheiro.

O destino do dinheiro arrecadado através das multas não fica na biblioteca. Maria explica que no último dia útil de cada mês é elaborado uma planilha onde consta todos os dados referentes a empréstimos, devoluções e atrasos por aluno. Feito esse levantamento, ele é entregue ao setor financeiro da instituição.

No Bom Jesus/Ielusc as opiniões variam a respeito do assunto. Luis Carlos, acadêmico de enfermagem do Ielusc, sugere a utilização desse dinheiro na climatização da biblioteca. “No verão é horrível estudar lá dentro. Deveriam instalar condicionadores de ar”. Rogério Giessel Júnior, 17 anos, estudante do ensino médio, não faz idéia quanto ao destino do dinheiro recolhido através de multas. Ele, que admite já ter pago algumas multas, acredita que a compra de novos livros e versões atualizadas de alguns já existentes no acervo é o melhor investimento.

A biblioteca central da instituição possui aproximadamente 10 mil livros. Somando com a unidade Saguaçú – que possui duas bibliotecas – a quantia passa dos 40 mil exemplares. Somente em março, o acervo central ganhou mais 95 aquisições.


*Acadêmico de Jornalismo do Bom Jesus/Ielusc

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.