Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 22 de junho de 2024 - 02h06min   <<


chamadas

Matéria 8860, publicada em 11/09/2009.


:Ludimila Castro

Uma das propostas sugere incluir plantas medicinais no tratamento de doenças

Cresce o número de projetos na Câmara de Vereadores

Ludimila Castro



Telefones públicos para deficientes auditivos, leis em defesa do meio ambiente e bloqueio de ligações de telemarketing são alguns dos projetos que estiveram em discussão na Câmara de Vereadores de Joinville na semana passada. Segundo a assessoria de imprensa da casa, houve um aumento no número de projetos de leis municipais neste mandato.

No dia 10 de setembro, o vereador João Rinaldi (PT) apresentou o projeto que obriga os prédios com mais de 20 salas e apartamentos a terem caixas coletoras de material reciclável. Se a lei for deliberada e sancionada, os novos condomínios residenciais e comerciais deverão se adequar às exigências, enquanto os já construídos terão o prazo de dois anos para a instalação de lixeiras diferenciadas. O objetivo da lei é estimular o reaproveitamento adequado de materiais como o lixo orgânico, metal, vidro e plástico. Depois de protocolada, a proposta foi encaminhada às comissões técnicas do poder legislativo.

Outro projeto permite que os motociclistas utilizem a faixa exclusiva dos ônibus para melhorar o tráfego na região central. Isso já ocorre com ambulâncias, veículos de bombeiros, viaturas policiais e taxistas. O parlamentar Jucélio Girardi (PMDB) elaborou a proposta. “Isso ajuda por um lado e atrapalha do outro, porque se tiver um ônibus na frente, não tem como ultrapassar. Mas a decisão é boa”, defendeu o motociclista Gilberto Adiel Weber, de 24 anos.

O vereador Manoel Francisco Bento (PT) propôs a inclusão de plantas medicinais e fitoterápicas nos tratamentos de doenças. “Quanto mais natural, melhor. Às vezes, tomamos uma coisa e prejudica. Eu prefiro o natural”, afirmou Jacira Lang, de 39 anos. Para o aposentado Dorval Manoel Soares, de 70 anos, é melhor aliar o uso dos medicamentos convencionais às plantas. Ele utiliza analgésicos e remédios para hipertensão.

Já o presidente de Câmara Sandro Silva (PPS) requer a instalação de telefones públicos para deficientes auditivos. Os dispositivos de comunicação para surdos – também conhecidos como teletipo – tornam o som mais nítido, aumentam o volume e filtram os ruídos, auxiliando as pessoas com deficiências moderada e severa.

No setor cultural, Lauro Kalfels (PSDB) sugeriu que as salas de cinema enumerem as poltronas. Seu projeto de lei pretende evitar as reclamações do serviço feitas no município. A numeração já é feita em teatros e casas de espetáculo e possibilita aos usuários escolher o local onde querem assistir ao filme.

Entre outras propostas, o vereador Osmari Fritz (PMDB) incluiu no debate do legislativo o bloqueio de ligações de telemarketing em Joinville. Segundo o vereador, isso “perturba” a comunidade joinvilense. O intuito do projeto do peemedebista é que os consumidores cadastrem os números para impedir o recebimento das chamadas.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.