Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Terça-feira, 30 de novembro de 2021 - 07h11min   <<


chamadas

Matéria 8357, publicada em 14/05/2009.


:Divulgação

Dacs apoirá manifestações contra aumento nas passagens

Dacs promove dois eventos na próxima semana

Marcus Vinícius Carvalheiro


Dos 12 integrantes eleitos para o Diretório Acadêmico Cruz e Sousa (Dacs), apenas 8 participam efetivamente das ações da entidade. A chapa Consciência foi a única inscrita e, na noite de 27 de novembro de 2008, foi eleita com 112 votos a favor e 6 contra. Atualmente, o Dacs assume uma postura horizontal e conta com a presença de outros membros que assumiram compromissos e demonstraram interesse pelo grupo estudantil, mesmo não fazendo parte da diretoria original.

Para a próxima semana, o Dacs estará a frente de duas propostas principais, a Copa Dacs de Futsal e participará da Frente de Luta pelo Transporte Coletivo. Fora esses projetos, os integrantes estão organizando debates para o próximo semestre com convidados do setor político e jornalístico, e também uma excursão para a Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), de 1º a 5 de julho.

A competição de futsal ocorrerá em duas fases, nos dias 23 e 30 de maio. Oito equipes participarão e cada atleta deverá pagar R$ 3,00 pela inscrição. As fichas podem ser adquiridas pelo e-mail: diretorio2009@gmail.com. As equipes concorrerão a medalhas e 40% do valor arrecadado nas inscrições. A outra proposta faz parte de um desejo coletivo do diretório. Todos os integrantes apóiam a Frente de Luta pelo Transporte Coletivo, entidade criada para descutir os preços das passagens. Na última terça-feira (12), o prefeito Carlito Merrs decretou o aumento de 12,2% das tarifas no transporte. Em virtude do aumento, o diretório fez uma reunião extraordinária na quarta-feira (13) e decidiu atuar sem investimento financeiro no movimento. Por não obter nenhum tipo de financiamento, o grupo resolveu incentivar debates de conscientização.


Outras lutas do diretório

Durante cinco meses, o diretório buscou junto à coordenação revitalizar sua sede, localizada na C-13. Em virtude das reformas da Deutsche Schule, a sala do diretório foi utilizada como depósito de materias e acomodação para os profissionais da construção civil. Depois de conversas com Silvio Melatti, os responsáveis pela infraestrutura esvaziaram a sede e, no final de abril, os estudantes retomaram suas atividades no local.

A criação de um estatuto com diretrizes horizontais, ou seja, uma organização sem cargos, tem sido o maior desafio do diretório. Durante cinco meses os integrantes têm se reunido em finais de semana aleatórios para finalizar o projeto. Neste sábado (16) o grupo se reunirá para completar o estatuto e debater temas e datas para a Semana Acadêmica. Felipe Silveira, do 7º período de Jornalismo, destaca que, além das ações citadas, o Dacs está presente nas reuniões do Colegiado e tem apoiado os estudos sobre os recursos tecnológicos da instituição.

Em uma das reuniões do Dacs, a integrante Emanuelle Carvalho, do 5º semestre de Jornalismo, avaliou que momentos de desânimo são naturais em organizações estudantis, e isso é um fator presente na estrutura política de um diretório. Emanuelle destaca outros problemas que enfraquecem a entidade estudantil, como a inexistência de um Diretório Central de Estudantes (DCE) e a falta de união entre os acadêmicos do Ielusc. Mas, na visão dela, a maioria dos integrantes tem um engajamento com os movimentos estudantis e isso faz com que, de maneira positiva, o grupo elabore suas ações.

Koriander de Ramos, acadêmica do 3º semestre do curso de Publicidade e Propaganda, afirma que embora as ações sejam lentas, as propostas iniciais estão sendo colocadas em prática. Para ela, não se pode fazer nada sozinho e esse é um dos fatores que ainda move o Dacs. Segundo Bruno Isidoro, estudante do 3º período de Jornalismo, “a luta de hoje não será usufruída hoje”. Bruno é um dos integrantes que ainda continua no grupo e, para ele, apesar das coisas aparentarem não dar certo, existe no grupo um sentimento de que as coisas se resolverão no futuro. Na opinião dele, o reflexo é lento e natural, o importante é “não estar acomodado e fazer alguma coisa”.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.