Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 15 de junho de 2024 - 13h06min   <<


chamadas

Matéria 8003, publicada em 17/03/2009.


Trabalho sobre merchandising em telenovela recebe nota 9

Luiza Martin


Merchandising comercial na telenovela: realidade, ficção e o mundo lúdico” é o título do trabalho da estudante de publicidade e propaganda Gabriele Gonçalo, defendido na segunda-feira (16), às 18h30. Na sala C-22, a aluna apresentou seus argumentos às avaliadoras Fernanda Guimarães Cruz e Sônia Regina de Oliveira Santos, professoras do Bom Jesus/Ielusc. O orientador da pesquisa, Silnei Scharten Soares, veio de Brasília especialmente para participar de duas bancas de monografia — a de Gabriele, que teve trabalho aprovado com nota 9, era uma delas.

A proposta do trabalho consistia em analisar o merchandising na novela Pantanal. Para isso, a monografanda estudou três aspectos: os mundos real, ficcional e lúdico. Essa tríade foi pensada em relação à verdade. Segundo Gabriele, na primeira — aquela que se pode chamar de realidade —, verdade é tudo que não é mentira. Na segunda, ela procura descobrir se existe inverdade e acaba concluindo que, neste meio, mentiras são permitidas: “Se é ficção, por que cobrar a verdade?”. Na terceira, que trata da propagada inserida na novela, a estudante percebe o jogo: “O merchandising se apóia na ficção e usa a verdade, não a excluindo e ao mesmo tempo brincando com a imaginação”.

Sônia fez algumas considerações sobre a pesquisa. Salientou a necessidade de aprofundamento ao analisar os três trechos da novela, selecionados pela estudante. “Gabriele apresentou um arcabouço teórico bastante consistente, mas não o aproveitou na análise — o que não invalida o trabalho”, explicou a professora. De acordo com Sônia, um dos méritos da monografia é o objeto discutido, o merchandising na telenovela, pouco aproveitado nas pesquisas disponíveis na biblioteca do Bom Jesus/Ielusc. Ela também comentou a postura da monografanda na apresentação e na argumentação: “Gabriele demonstrou saber do que falava. Mergulhou no que estava estudando. Isso condiz com a trajetória da aluna”.

Mesmo com uma trajetória exemplar, a monografanda se deparou com uma dificuldade: estudar os sentidos do merchandising, sendo essa uma área do conhecimento pouco explorada. Por isso, Gabriele focou na definição dessas idéias e deixou para segundo plano analisar o trio de cenas escolhido. “Não adianta fazer análise de sentidos, se eles ainda não são conhecidos”, disse, completando: “Faltou tempo e fôlego”. Para ela, foi fácil encontrar referências bibliográficas disponíveis na biblioteca do Bom Jesus/Ielusc, onde conseguiu o livro “Seis lições sobre a televisão”, de François Jost, cujas teorias contribuíram para demonstrar o lúdico na telenovela — este autor tem como objeto os reallity shows, que usa para mostrar a idéia de jogo, da qual a estudante se apropriou na pesquisa.

Depois de trabalhar com os sentidos, Gabriele conta que Silnei, o orientador, sugeriu a aplicação das teorias a uma situação concreta. Ela decidiu usar trechos de “Pantanal” por ser uma produção com um tema diferenciado, não-urbano, e que obteve sucesso em suas três exibições. A Partir das cenas, a estudante concluiu que, independentemente da presença do merchandising, a novela têm um mundo lúdico. Para dissertar sobre os comerciais inseridos na telenovela, foi necessário abordar o posicionamento do telespectador. Fazia-se necessário um estudo de recepção, que ela admitiu, durante a apresentação, estar ausente no trabalho.

Fernanda fez a sua avaliação: “Em alguns momentos Gabriele se situa como se tivesse feito um estudo de recepção. Faz amarrações de ordem conclusiva”. A professora notou que a própria aluna admitiu no trabalho e na conclusão, que seria interessante esse tipo de estudo na pesquisa. Segundo a avaliadora, pelas teorias abarcadas na monografia, haveria “fôlego para transcender o nível da descrição”. Em resposta Gabriele afirmou: “O tema que escolhi é delicado e cheio de variáveis. Não seria resolvido apenas na monografia”. Ela pretende continuar o estudo sobre telenovelas em outros níveis, como a pós graduação e o mestrado. “Quero ser professora universitária”.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.