Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Domingo, 10 de dezembro de 2023 - 04h12min   <<


chamadas

Matéria 7920, publicada em 20/02/2009.


Religiosos ignoram o carnaval

Ariane Pereira


“As invejas, as bebedices, as orgias, e coisas semelhantes a estas, contra as quais vos previno, como já antes vos preveni, que os que tais coisas praticam não herdarão o reino de Deus” (Gálatas 5:21). Este é apenas um dos versículos da Bíblia que guiam algumas das pessoas que remam contra a maré do carnaval. As Testemunhas de Jeová, movimento religioso iniciado na década de 70 por Charles Taze Russell, por exemplo, não comemoram o carnaval nem nenhum outro tipo de festa por considerarem estes eventos de origem pagã. Já a Igreja do Evangelho Quadrangular, fundada por Aimee Semple McPherson em 1922, faz retiros em época de carnaval, mas acompanha normalmente todas as demais festividades.

Para os Testemunhas de Jeová, o carnaval é encarado como um dia normal por não haver relato bíblico de que os cristãos o festejassem. Gabriela Dias Holz, de 20 anos, segue a religião e, quando questionada sobre seu livre arbítrio, diz que as pessoas são livres para escolher a própria religião, e que participa dos Testemunhas de Jeová por achar que eles estão certos. Os adeptos deste movimento religioso não são obrigados a participar dele para sempre, mas há preconceito contra quem sai ou é desassociado — que acontece quando alguém desobedece algum dos preceitos da religião e não se arrepende. “O que é a última coisa que deveria haver numa religião”, protesta Gabriela.

Para Nelson Antônio Henrique, pastor auxiliar da Igreja do Evangelho Quadrangular, o problema do carnaval é o excesso. De acordo com o pastor, a Bíblia prega uma vida com equilíbrio, e a bebida e o cigarro não permitem que se alcance este objetivo. “Tudo o que aprisiona é maléfico”, diz Nelson, referindo-se aos vícios. Neste carnaval, a Quadrangular fará um retiro que durará de sábado a terça-feira na chácara da igreja, localizada no bairro Itinga, em Joinville. Os retiros, segundo Nelson, não têm mais o propósito antigo, que era de afastar as pessoas do carnaval. Atualmente, aproveita-se o feriado prolongado para um fortalecimento espiritual.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.