Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 06h12min   <<


chamadas

Matéria 7559, publicada em 17/11/2008.


:Caroline Bernardo

Carlito continuará as obras no Hospital São José

Carlito reforça críticas à saúde

Carolinne Sagaz e Tuane Roldão


“O Hospital São José está literalmente desgovernado”, disse Carlito Merss, referindo-se à saúde pública de Joinville. Para ele, a cidade possui poucos PAs (Pronto Atendimento) e não investe em prevenção de doenças. Além disso, não há médicos nos Postos de Saúde. O prefeito eleito pretende terminar as obras do único hospital municipal de Joinville. Carlito esteve no Bom Jesus/Ielusc, sexta-feira, dia 14 de novembro, para entrevista coletiva. Os alunos de Redação 2, Fotojornalismo 2 e TV o questionaram sobre as futuras ações em áreas como cultura, educação e transporte.

Quando questionado sobre incentivo à música em Joinville, Carlito respondeu que não tem nenhum projeto específico. Para ele, o desenvolvimento do setor musical depende do mercado e da organização dos artistas. Porém, é possível melhorar os espaços onde os eventos acontecem e investir em aperfeiçoamento dos músicos. O prefeito eleito elogiou a criação dos Editais de Apoio às Artes pelo ex-presidente da Fundação Cultural, Rodrigo Bornholdt. Segundo ele, a iniciativa de Rodrigo contribuiu para a evolução da cultura na cidade.

“Meu sonho é ver, em 10 anos, o Rio Cachoeira voltar a ser o que era”, contou Carlito. Uma das medidas para promover a conscientização ecológica será implantar a disciplina de Educação Ambiental no ensino básico. Além disso, Educação no Trânsito também fará parte do currículo das escolas municipais. O prefeito eleito acredita que os ciclistas joinvilenses correm risco de vida, pois as ciclovias existentes foram feitas de forma “improvisada” e sem ligação umas com as outras. Para ele, os corredores de ônibus dificultaram a utilização da bicicleta como meio de transporte.

Carlito ainda não possui um plano em relação ao preço da passagem de ônibus. Segundo ele, somente após analisar as planilhas de custos das empresas responsáveis pelo transporte coletivo será possível alterar o valor do passe, ou não. Caso a taxa cobrada seja considerada justa, será feito um diagnóstico social para que a prefeitura possa subsidiar parcial ou integralmente a passagem para estudantes e pessoas com mais de 60 anos. Porém, ele alerta que não vai “tratar de forma igual os desiguais”: apenas as classes de baixa renda seriam beneficiadas com a ajuda do governo.

O prefeito eleito criticou a oposição por afirmar que as cidades administradas pelo Partido dos Trabalhadores (PT) não se desenvolvem. Para ele, os adversários do partido têm um “padrão nazi-fascista”. Carlito acredita que, desde a última eleição, o PT teve um grande crescimento, mesmo em Santa Catarina, onde o desempenho foi menor.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.