Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Quinta-feira, 02 de dezembro de 2021 - 21h12min   <<


chamadas

Matéria 7389, publicada em 30/10/2008.


:Luiza Martin

Leonel formou-se em setembro deste ano

Documentário sobre Movimento Passe Livre vai ao 10º Catavídeo

Ariane Pereira


O jornalista formado pelo Ielusc, Leonel Camasão, está participando com o documentário "Saída de Emergência" no 10º Catavídeo — mostra de curtas catarinenses — que começará esta sexta-feira (31 de outubro), em Florianópolis. O documentário foi produzido durante a disciplina Projeto Experimental – TV, ao final do curso de Comunicação, em 2007, e tem como tema as tarifas do transporte coletivo no Brasil, principalmente em Joinville, e o que movimentos populares e o governo fazem a respeito disso. O Catavídeo não oferece prêmios, tem o intuito de estabelecer um debate entre os realizadores dos trabalhos e o público espectador de Santa Catarina.

O vídeo de Leonel será exibido na categoria "Sob o teu olhar", de documentários. O envolvimento do ex-ielusquiano com o Movimento Passe Livre em Joinville foi base para decidir o tema abordado na produção. Para realizar o trabalho de conclusão da disciplina o jornalista utilizou equipamentos fornecidos pela instituição e a autoria das imagens foi compartilhada com o cinegrafista do Ielusc. Do bolso de Camasão saiu a viagem a Jundiaí para entrevistar Lúcio Gregóri, ex-secretário de transportes de São Paulo, autor do projeto “Tarifa Zero”.

O projeto consiste em fazer com que a passagem de ônibus passe a ser gratuita para os usuários. O ex-secretário parte do princípio que o transporte é um serviço público e, portanto, não deve ser cobrado. Para que o projeto pudesse ser posto em prática, seria necessária a municipalização do sistema de transporte — uma empresa pertencente ao governo seria criada para o serviço. Se a prefeitura não tivesse dinheiro para comprar os ônibus, fretaria com empresas particulares. A diferença do sistema vigente é que o usuário paga 100% do custo do transporte diretamente para as empresas. Com o sistema municipalizado, o dinheiro iria para a prefeitura, que remuneraria as empresas por quilômetro rodado.

Aparentemente a idéia é boa, mas não funcionou. Em 1991, no governo Erundina, um terço da frota de ônibus em São Paulo foi municipalizada. Entretanto, o projeto não deu certo por não haver sustentação política e nem popular. Atualmente, o transporte coletivo em São Paulo funciona como em Joinville, através de concessão. O Movimento Passe Livre de Joinville tem por objetivo a municipalização do transporte na cidade. Mas de acordo com Leonel, o MPL não tem feito muitas reuniões. “As pessoas pararam de ir às reuniões, talvez tenha a ver com o fim do semestre... a maioria é estudante”, diz.

O 10º Catavídeo acontece no Sesc Prainha, em Florianópolis, de 31 de outubro a 7 de novembro. É realização da Associação Cultural Alquimídia e Funcine (Fundo Municipal de Cinema de Florianópolis).

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.