Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 06h12min   <<


chamadas

Matéria 7245, publicada em 16/10/2008.


GT sobre produtos laboratoriais tem predominância do rádio

Sidney Azevedo


O grupo de trabalho (GT) destinado à discussão dos produtos laboratoriais eletrônicos teve uma preponderância de artigos que falam sobre o meio radiofônico. Das oito apresentações, cinco envolvem a produção e difusão em rádio, duas versam sobre webjornalismo e uma refere-se à televisão. “Creio que esse número tem relação com um envolvimento na adrenalina do rádio que os alunos têm após o primeiro contato com o meio”, considera Luiz Witiuk, professor da Universidade Positivo, de Curitiba, que apresentará o artigo “Rádio Teia – uma experiência de radiojornalismo”. O trabalho desenvolvido compreende a produção jornalística feita por alunos da universidade.

O modo de produção de conteúdos é considerado pelo professor Paulo Cajazeira, da Universidade Federal do Paraná. Cajazeira entende que há mais facilidade, em termos técnicos, de se criar um programa de televisão do que em se fazer um programa de rádio. Ele apresenta o único trabalho relacionado à produção televisiva, “PUTZ: uma experiência pedagógica em vídeo”. Refere-se ao Festival Universitário Zé do Caixão, de espectro nacional, onde a produção de vídeos universitários é estimulada.

Além destes, há mais três trabalhos paranaenses: “História e radiojornalismo: o programa ZYZ e a recuperação da memória dos 85 anos de rádio no Paraná”, de Thays Poletto e Matheus Amorim, ambos da UniBrasil. Um artigo trata do homônimo digital do jornal laboratório ielusquiano, “Primeira Pauta: uma experiência no jornalismo acadêmico da Opet”, de Márcio de Oliveira Rodrigues, da Organização Paranaense de Ensino Técnico. De Ana Paula Machado Velho, do Centro Universitário de Maringá, é o texto “Agência Megafone: produção webjornalística de terceira geração”, que relata os percursos da geração de um produto jornalístico conforme as peculiaridades da Internet.

A participação catarinense neste GT envolve o trabalho de Izani Mustafá, “Rádio Poste Ielusc e Rádio Udesc FM: Experiências com diferentes gêneros”. Da Unochapecó vem o artigo “Meio ambiente e preservação nas ondas do rádio”, de Mariângela Torrescasana, Ilka Goldschmidt e Cristiane Rosset. “Jornalismo ao vivo e diário com participação da comunidade: o caso do programa 'Viva Voz' da Rádio e TV Univali”, de Carlos Praxedes. O GT inicia-se dia 18 de outubro, às 14h30.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.