Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Terça-feira, 18 de junho de 2024 - 10h06min   <<


chamadas

Matéria 5978, publicada em 18/04/2008.


:Divulgação

Campanha alerta sobre o desperdício de copos descartáveis

AEP promove campanha ecológica

Ariane Pereira


Na última quarta-feira (16), o quiosque próximo à cantina do Bom Jesus/ Ielusc foi transformado em palco para uma iniciativa da AEP (Agência Experimental de Publicidade). A campanha “Conscientização Ambiental” é contra o desperdício de copos descartáveis. A idéia surgiu quando o professor orientador da AEP, Vinícios Neves, leu uma notícia na Folha de S. Paulo que questionava se os copos de plástico seriam mais ecologicamente corretos do que os de vidro.

A montagem ficará no quiosque por tempo indeterminado, e é composta por vários copos descartáveis que foram anteriormente utilizados pelos bolsistas e professores da AEP.

Uma pesquisa feita por alunos da Faculdade de Engenharia Mecânica da Unicamp comprova que os copos de vidro são mais ecologicamente corretos que os descartáveis. Como na cantina da FEM (Faculdade de Engenharia Mecânica) cabem 134 pessoas, foi providenciada a compra de 200 copos de vidro, que custaram R$ 1.026,66. Cerca de 3.000 copos plásticos são utilizados por semana nessa cantina, o que totaliza um gasto de R$ 684,00 por mês. Em apenas seis semanas, o valor investido em substituir os copos descartáveis pelos de vidro foi pago. Além do mais, os copos plásticos têm como matéria-prima o petróleo, que é uma fonte não renovável e implica grande impacto ambiental em sua extração. O plástico é 100% reciclável, mas para que isso seja possível é necessário lavá-lo, consumindo água e detergente, e a coleta seletiva nem sempre é eficiente. No caso dos copos de vidro, a matéria-prima utilizada é a areia, fonte barata, abundante e cuja extração causa menos danos que a do petróleo. Além do mais, o vidro também é 100% reciclável.

No Bom Jesus/ Ielusc há várias lixeiras próprias para materiais orgânicos e recicláveis. Mas segundo Marilete Colonetti, uma das zeladoras da instituição, isso acaba não funcionando porque os alunos não jogam o lixo no local correto. Ela conta que em algumas salas e escritórios do Ielusc o lixo é separado, mas essa é uma quantidade pequena em comparação ao resto. Esse lixo separado é guardado, e quando já está acumulado em grande quantidade, um caminhão da coleta seletiva busca. Já o que não foi separado acaba indo parar nos lixões e não é reciclado. O plástico dos copinhos, por exemplo, leva cerca de 450 anos para se decompor.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.