Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 03h12min   <<


chamadas

Matéria 5661, publicada em 06/03/2008.


Dacs cria disco virtual para professores e alunos

Ronaldo Santos


O preço das cópias praticado pela Selbetti levou o Diretório Acadêmico Cruz e Souza (Dacs) a criar um banco de dados para anexação e consulta do material de aula. O disco virtual — disponível para alunos de Jornalismo e Publicidade e Proganda — está disponível no site www.4shared.com, com login “dacs.ielusc@gmail.com” e senha “cruzesouza”. O objetivo do banco é dar aos acadêmicos uma nova possibilidade para impressão do material de aula. Os textos estão separados por curso e semestre. O disco possui cinco gigabytes de espaço.

Para o estudante de Jornalismo Pedro Guerra, 24 anos, com a criação deste banco de dados, o Dacs corrobora o preço alto praticado pela Selbetti, que atualmente está em R$ 0,12 a folha. “O diretório deveria criar, em conjunto com alunos, administração e professores, uma força oposta à Selbetti”, observa Pedro. Jean Carlos Knetschik, presidente do Dacs, alega que o preço da cópia só vai baixar quando os alunos assumirem a reprografia. “A entidade não pode comprar todas as brigas de uma vez. O disco virtual é uma opção para, justamente, evitar o preço alto da empresa”, completou Jean.

Caio Biagiotto, do sétimo período de Publicidade, gostou da idéia do diretório. Ele contou que sua turma já digitalizava os textos para sair mais barato. “É uma opção de economia”, considera o acadêmico.

A responsável pela central de cópias da Selbetti no Ielusc, Zoraia Oliveira, diz que já levou às reuniões da empresa a possibilidade de baixar o preço. A direção justifica que o valor não é alterado desde o início das atividades no Ielusc, em 2004. Quando questionada sobre uma possível perda de clientela para concorrentes mais baratos, Zoraia responde: “A qualidade não é a mesma”. Ela explica que geralmente quando a cópia é mais barata, as copiadoras são a jato de tinta. A Selbetti utiliza impressoras a laser.

O acesso ao banco de dados é público. Jean diz que qualquer pessoa pode alterar a senha ou deletar textos, mas isso não o preocupa. “Os acadêmicos não são crianças e como o disco virtual é feito para facilitar o trabalho deles, acredito que ninguém vai querer 'avacalhar' com isso”, argumenta o presidente. O Dacs deve anunciar em breve um novo servidor. Desta vez, com espaço de armazenamento dez vezes maior do que o atual e sem a necessidade de senha.

Os professores que desejarem publicar textos no banco, devem enviá-los por correio eletrônico para Jean, pelo endereço jeancak@gmail.com.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.