Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Terça-feira, 07 de dezembro de 2021 - 12h12min   <<


chamadas

Matéria 5626, publicada em 04/03/2008.


:Gustavo Cidral

Equipe do Necom se reúne na sala D-6

Rastros em dose dupla a partir de 2008

Gustavo Cidral


Neste ano o Núcleo de Estudos em Comunicação pretende crescer em produção e encarar um novo desafio. Juciano de Souza Lacerda é o novo coordenador, e a entrada de Fernanda Guimarães Cruz e Maria Elisa Máximo deve intensificar o trabalho de produção científica na academia - um dos objetivos do novo ano. Juciano substitui Silnei Scharten Soares, que ainda integra a equipe, assim como Jacques Mick. Silnei ficou um ano no cargo e só saiu para assumir outra coordenação, a do curso de publicidade e propaganda. O grupo é completado pelos bolsistas João Francisco Kamradt (7º período) e Rafaela Mazzaro (5º período). A maior mudança no Necom será o lançamento duplo da Revista Rastros em 2008. A edição número nove será comemorativa aos dez anos do curso de Comunicação Social no Ielusc e está prevista para o fim do primeiro ou começo do segundo semestre; a décima sairá no final do ano.

A Rastros está qualificada como Qualis A Local em ciências sociais aplicadas 1 e Qualis C Nacional em multidisciplinar, de acordo com a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). A publicação semestral é o único quesito que falta para a Rastros se tornar Qualis A Nacional. No ano passado a meta alcançada foi regularizar a data de lançamento. Todos os outros ítens já são cumpridos pela revista, como 75% da produção textual ser de fora do Ielusc e todos serem pesquisadores da comunicação. Nas primeiras edições o periódico tinha o nome de Intermeios e era feito também por profissionais da educação, o que o classificava como multidisciplinar. Em 2009, uma nova avaliação deverá promover a Rastros a Qualis A Nacional em ciências aplicadas 1.

Ouça aqui o depoimento do coordenador Juciano

O quadro de pesquisadores do Necom ganha mais peso científico. Juciano defenderá a tese de doutor em comunicação dia 28 de março, na Unisinos, onde Fernanda Cruz se titulou mestre. Já os doutores Jacques, em sociologia política, e Maria Elisa, em antropologia social, obtiveram a formação na UFSC. Silnei é mestre em ciências da comunicação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Para o bolsista João Kamradt, é bem produtivo conviver com pessoas de um maior nível de graduação porque as conversas e discussões tendem a afunilar para um aprendizado constante. “Embora quem esteja de fora não perceba a importância de um núcleo de estudos, aqueles que estão envolvidos nele, acrescentam uma grande carga de conteúdo”, analisa.

O Necom firmou uma parceria com o GrupCiber (Grupo de Estudos em Ciberantropologia), da UFSC, coordenado pelo pós-doutor Theophilos Rifiots. Com um incentivo solicitado junto ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico), o projeto de pesquisa “Estudo etnográfico das formas de apropriação dos centros públicos de acesso pago à internet em Florianópolis” teve início em meados de 2007 pela iniciativa de Juciano, Maria Elisa e Theophilos.

O Jornal do Paraíso, projeto de extensão do Necom iniciado em 2007, será mantido com uma única bolsista – Priscila Noernberg (7º período). Juciano alegou falta de verba para recrutar mais alunos no projeto.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.