Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Terça-feira, 07 de dezembro de 2021 - 14h12min   <<


chamadas

Matéria 4722, publicada em 20/08/2007.


:Jouber Castro

Sala C-21 estava pronta para apresentação

38 minutos de espera para segunda reprovação da temporada

Jouber Castro


O público de defesas de monografia está acostumado a, após o fim da apresentação e da argüição, aguardar ansioso pelo resultado. As quatro pessoas que compareceram à sala C-21 na tarde de segunda-feira, 20 de agosto, tiveram uma experiência diferente: aguardaram para saber se a monografia seria defendida ou não. E foram 38 minutos de espera em vão. “A eficiência do telemarketing nas empresas”, de Jackeline Huller (PP), após reunião entre o orientador André Scalco e a banca (Pedro Ramirez e Antônio Pinto), não foi considerada apta para defesa. Era a segunda reprovação dessa temporada. Jackeline terá de fazer nova matrícula na disciplina de Monografia II e reelaborar o seu trabalho.

Quando a programação foi divulgada, o espaço da banca estava vago. Jackeline havia convidado para avaliar seu trabalho professores que não tinham espaço na agenda. Foi então que, na última sexta-feira, o coordenador de Publicidade e Propaganda assumiu o trabalho. Até a tarde de segunda, a defesa estava confirmada. Mas uma reunião de mais de meia hora no Negra (Núcleo de Estudos Gráficos), na sala C-19, decidiu que ainda não era a hora de Jackeline apresentar.

A sala C-21 estava pronta para a apresentação: cadeiras dispostas para Jackeline, orientador, banca e público, e apresentação em Power Point já projetada na tela branca. Talita Sizenando, estudante de publicidade, aguardou a decisão sobre a defesa. “Eu queria assistir a essa monografia porque queremos implantar o sistema da telemarketing na empresa onde trabalho”, disse. E foi embora demonstrando decepção: “Acho que a decisão sobre a apresentação ou não do trabalho deveria ser tomada antes”.


800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.