Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Terça-feira, 30 de novembro de 2021 - 07h11min   <<


chamadas

Matéria 4118, publicada em 13/04/2007.


:Lorena Trindade

Relógio parou por oito dias

Mecanismo secular ainda passará por manutenção

Lorena Trindade


Quem costuma se guiar pelo relógio da Igreja da Paz pôde perceber que os ponteiros pararam. Desde 2 de abril o aparelho da imponente torre não funcionava direito e paralisou marcando 1h15. Segundo Neri Pereira, o tio Neri, o relógio que funciona a corda parecia ter enfraquecido. “Algumas pessoas da vizinhança ligaram para perguntar o que aconteceu”, disse Neri. O chefe da segurança atentou para um detalhe na torre da Igreja: um catavento em forma de bandeira, com a data de instalação da comunidade evangélica luterana de Joinville, 1852. O medidor de tempo tem mais de cem anos e já faz parte da paisagem e do cotidiano do centro da cidade.

Cláudio Bachtold, zelador da Paróquia da Paz, normalmente conserta o relógio, mas dessa vez não conseguiu detectar o problema e recorreu aos serviços do relojoeiro. No dia 3 de abril, por volta das 4 da tarde, o aparelho continuava marcando 1h15 e o relojoeiro havia sido chamado pela administração da paróquia duas vezes. O técnico só atendeu ao pedido às 17h15. Embora o relógio tenha voltado a funcionar ainda na noite do dia 3, parou mais uma vez. Segundo Neri, baseado nos relatos do relojoeiro, o velho mecanismo precisa de limpeza e lubrificação das cordas, já que há dez anos esse tipo de manutenção não era feita.

No dia 10 de abril, às 17h40, o relojoeiro acertou o horário. Porém, a manutenção completa ainda não foi feita, pois para isto o aparelho precisará ser desmontado. Os joinvilenses que circularam pelo centro da cidade na manhã de 11 de abril puderam observar que o aparelho está funcionando normalmente. Voltaram a ouvir as badaladas do sino e a acertar seus relógios móveis de acordo com o horário marcado na torre.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.