Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sexta-feira, 28 de janeiro de 2022 - 03h01min   <<


chamadas

Matéria 3501, publicada em 01/12/2006.


:Jouber Castro

Livros vítimas da falta de zelo dos usuários da biblioteca

Depredaçãoes e má-conservação preocupam biblioteca

Jouber Castro


A devolução do livro “Os cem melhores poemas brasileiros do século” com duas páginas a menos acendeu um sinal de alerta na biblioteca central do Bom Jesus/Ielusc. “Essa falta de cuidado era comum no tempo em que a biblioteca atendia aos alunos do ensino fundamental. No ensino superior faz muito tempo que eu não vejo isso”, disse a bibliotecária Maria da Luz.

Os casos de depredação têm se tornado cada vez mais freqüentes. “Não podemos esquecer que não somos os únicos com direito a ter acesso à informação”, lembra a bibliotecária, afirmando ainda que esses descuidos prejudicam a intenção da instituição de formar um acervo rico para oferecer um “patrimônio” aos seus estudantes.

Falta de cuidado = má-conservação

Outro caso que chamou a atenção das funcionárias da biblioteca foi o do livro “Conceitos do jornalismo”, de Michael Kunczik, que foi devolvido do empréstimo úmido, com marcas de café derramado, “orelhas-de-burro”, manchas nas lombadas, com um capítulo sublinhado e com anotações a lápis. “Os livros são capitais de conhecimento e informação, não podemos compactuar com tamanha falta de cuidado”, argumenta Maria. O estado de conservação do livro não é satisfatório, principalmente pelo exemplar ter sido adquirido em 2004. “Nós vemos pela janela os estudantes com os livros expostos à chuva, e só podemos lamentar”.

Estudantes fazem anotações em livros de uso público

Certos cuidados devem ser tomados com as obras para que estas não se deteriorem e tenham uma vida útil mais longa. Bebidas e comidas devem passar longe dos livros. Estes não devem ficar expostos ao sol e à chuva, sob risco de suas páginas perderem a cor original e se desmancharem. Quanto às anotações, devem ser evitadas a todo custo, já que os livros são de uso público. Maria da Luz lembra que até 20% das obras podem ser reproduzidos, e as reproduções permitem anotações à vontade. Os DVDs e as fitas VHS também merecem cuidados especiais. “'Olga' foi devolvido com um risco imenso”, lamenta a bibliotecária. Ela pede aos usuários que levem de volta à biblioteca os DVDs que não rodam, já que um dos processos que mais riscam os discos é o de forçar a sua entrada no aparelho.


800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.