Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Domingo, 05 de dezembro de 2021 - 08h12min   <<


chamadas

Matéria 2871, publicada em 05/10/2006.


:Divulgação

Erivellto foi bolsitas da Revi durante um ano

Erivellto Amaranth está entre os três selecionados na categoria Rádio

Cláudia Morriesen

Nesta quarta-feira, 4 de outubro, a lista dos finalistas do Prêmio Unimed-SC de Jornalismo trazia uma boa notícia para Erivellto Amaranth, acadêmico do sexto período de jornalismo do Ielusc: a série de programas "Sedentarismo nunca mais", veiculada na Rádio Udesc FM (91.9) está entre os três selecionados na categoria de radiodifusão. A idéia e o tema do programa foram definidos pelo coordenador e jornalista Paulo Roberto Santhias. O prêmio, que está em sua quinta edição, tem como objetivo estimular a imprensa a produzir mais notícias a respeito de prevenção e saúde. Foram 156 inscritos em todo o estado, entre os quais 23 foram para este meio de comunicação.

Bolsista da Rádio Educativa desde abril, Erivellto pretendia fazer um programa de saúde já no início do ano, mas sobre fitoterapia. O projeto só foi posto em prática a partir do segundo semestre, quando Santhias aderiu à iniciativa propondo um novo tema: o sedentarismo, problema que atinge grande parte da população brasileira. A partir do assunto, Erivellto — que foi bolsista da Revi durante um ano — cuidou da produção do programa “Sedentarismo nunca mais”.

Em duas semanas, o único estudante de jornalismo da rádio fez pesquisas, realizou as entrevistas e editou as matérias. Ele conversou com mais de 20 pessoas, entre eles, endocrinologistas, nutricionistas, cardiologistas, psicólogos, ortopedistas e fisioterapeutas. “Quando comecei o trabalho, não imaginava que este problema envolvesse tantos profissionais”, afirma. Outras foram entrevistadas sobre seus hábitos físicos e alimentares. O resultado rendeu 50 minutos de gravação, divididos em quatro programas de 10 a 15 minutos, veiculados às 8 horas, na semana de 7 a 11 de agosto.

Os realizadores do programa premiado receberão R$ 14 mil, enquanto os outros finalistas serão contemplados com um trófeu e uma estadia, durante um final de semana, em um hotel de lazer de Santa Catarina. Erivellto afirma que, indiferente aos prêmios, o mais válido neste trabalho foi a experiência vivida nas semanas da produção da série. “O prêmio é importante por qualificar o trabalho, mas foi minha primeira experiência com grande reportagem em rádio. Então, isto foi a parte mais gratificante”, conta ele. “Na Revi, já tive a oportunidade de praticar a produção, mas estes programas precisavam de muita edição. Tinham a duração de até 15 minutos, não podiam ficar chatos, corria o risco de perder o interesse do público”, completa Erivellto. A premiação será realizada nesta sexta-feira, 6 de outubro, no Mercure Hotel Printz Joinville. Caso saiam vencedores, o prêmio será dividido entre Erivellto e Paulo Roberto Santhias, que atuou como supervisor e editor no programa.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.