Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 05h12min   <<


chamadas

Matéria 2205, publicada em 29/05/2006.


:Divulgação

Livro novo na biblioteca traz histórias da ditadura

Livros, periódicos e DVDs estão na lista de aquisições

Letícia Caroline


Este ano a biblioteca do Bom Jesus/Ielusc (unidade Centro e Saguaçu) renovou assinatura de 126 periódicos — revistas e jornais. No campo da comunicação, o serviço de renovação foi feito com 34 periódicos, entre eles, os jornais Folha de São Paulo e Estado de São Paulo; as revistas Carta Capital e Caros Amigos. Os demais cursos também tiveram informativos com assinaturas confirmadas. No total, foram investidos R$ 15.211,57.

Já entre os livros, foram adquiridas 39 títulos para a unidade Centro e 149 para a unidade Saguaçu. Literatura brasileira e estrangeira, obras sobre comunicação, enfermagem, nutrição e turismo estão entre os volumes comprados. Na unidade central pode-se encontrar “O Visconde partido ao meio”, de Ítalo Calvino, e “Nova antologia poética”, de Vinícius de Moraes. No Saguaçu, destacam-se “Harry Potter e o enigma do príncipe”, de J.K. Rowlling, e o “Bom ladrão”, de Fernando Sabino. Essas aquisições são referentes ao período de 1 de janeiro a 22 de maio de 2006. O investimento foi de R$ 11.072, 30.

Para quem gosta de filmes e documentários, é possível pegá-los emprestados na biblioteca. Nessa categoria foram comprados 12 DVDs para a unidade Centro e nove para a unidade Saguaçu. Tem filme para todos os estilos. Desde quem deseja estudar natação ou futsal até quem aprecia obras cinematográficas brasileiras.

Saindo do forno quentinho...

Entre as novas aquisições destaca-se o livro de Fernando Molica “10 reportagens que abalaram a ditadura”. A obra é a primeira de uma coleção sobre jornalismo investigativo. Nela, o autor reúne dez reportagens polêmicas e relatos dos jornalistas que participaram da produção e edição dos textos.

A partir das reportagens, é possível visualizar o contexto histórico-político, que compreende o período de 1964 até 1985. A morte de Vladimir Herzog, o caso Riocentro e o direito de acesso a documentos públicos são alguns dos temas citados nas matérias.

Fernando Molica é jornalista formado pela UFRJ. Foi repórter na Folha de São Paulo e no Estado de São Paulo — nas sucursais cariocas — e chefe de reportagem de O Globo. Desde 1996 é repórter especial da rede Globo. Seu primeiro livro foi “Notícias de Mirandão”, no qual realidade e ficção se misturam para narrar a história de universitários de esquerda, que se instalam em uma favela para iniciar uma revolução socialista no Brasil.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.