Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Domingo, 05 de dezembro de 2021 - 09h12min   <<


chamadas

Matéria 2104, publicada em 10/05/2006.


:Divulgação

"Eu sou o poder", afirma Roberto Marinho no documentário

Filme que mostra bastidores da Globo foi proibido no Brasil

Erivellto Amaranth


Será exibido nesta sexta-feira, 12 de maio, às 20h40, na quadra ao lado da cantina do campus central do Ielusc, o polêmico documentário "Muito Além do Cidadão Kane", produzido em 1993 pela BBC. O vídeo, que mostra os bastidores da instalação da maior emissora de TV da América Latina e suas ligações com o regime militar, foi censurado logo na primeira exibição em solo tupiniquim, que aconteceu no MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo.

O filme não teria a mesma repercussão não fosse a decisão do então secretário da Cultura do estado, Ricardo Ohtake, de demitir o programador do MIS, Geraldo Anhaia Mello, por ordens diretas de Luiz Antônio Fleury Filho, governador do estado na época. Fleury foi um dos principais responsáveis pelo Massacre do Carandiru, que resultou na morte de 111 detentos, em 2 de outubro de 1992. Ohtake alegou que o documentário estaria sendo exibido sem a autorização de seu diretor, Simon Hartog, porém muitos diziam que o real motivo da proibição estava relacionado às pressões feitas por Roberto Marinho.

O caso foi noticiado com grande estardalhaço pela imprensa depois que Anhaia Mello resolveu ocupar as páginas do jornal “Folha de S. Paulo" para se defender. Além de não se intimidar, o gesto do ex-funcionário do MIS fez com que o próprio Simon Hartog liberasse a exibição do filme em todo o território nacional. Horas depois do comunicado, o mesmo museu que sofreu o ato censório receberia a presença de centenas de pessoas, vindas das mais diferentes regiões da capital paulista, para assistir gratuitamente ao documentário. No final de cada exibição, a multidão aplaudia de pé o resultado do trabalho.

A apresentação de "Muito Além do Cidadão Kane" é uma iniciativa do CMI (Centro de Mídia Independente), e tem o apoio do DCE (Diretório Central dos Estudantes) Florestan Fernandes do Ielusc. Depois da exibição do documentário acontecerá um debate entre os integrantes do centro e a comunidade acadêmica.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.