Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Sábado, 04 de dezembro de 2021 - 06h12min   <<


chamadas

Matéria 2060, publicada em 28/04/2006.


"Como ritual foi extremamente vago", diz Samuca

Leonel Camasão

Plenário quase lotado. Meia dúzia de vereadores estavam ali, em sessão solene proposta pelo presidente da Câmara de Vereadores, Darci de Matos (PFL), para homenagear os 80 anos do Bom Jesus/Ielusc e os 70 anos do Centro Educacional Conde Modesto Leal. Autoridades das duas intituições estavam presentes e foram convidados para sentar-se junto ao presidente, que após seu discurso, se retirou devido a outros compromissos. “A instituição tem papel fundamental na educação de Joinville”, resumiu Matos.

Marilene Sprogis, regente do coral do Bom Jesus/Ielusc, acompanhou ao som do teclado o barítono Douglas Hahn, numa performance do Hino Nacional. Após o discurso dos vereadores, Marilena voltou ao teclado para a apresentação do coral da instituição, que cantou “Samarina”, de Edson Gomes e “Água de beber”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

A professora Kladis Lermem, responsável pela educação infantil do Bom Jesus, foi homenageada em nome da instituição e recebeu um buquê de flores. No fechamento, o coordenador do curso de Comunicação Social, o Professor Samuel Pantoja Lima, interpretou a música “Tocando em frente”, de Renato Teixeira e Almir Sater. Pantoja criticou a sessão solene. “Os vereadores deveriam debater, discutir, construir conosco o papel da educação”. Para ele, o evento foi “algo extremamente vago” e notou-se o “desinteresse profundo da Câmara com a educação”.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.