Revi Bom Jesus/Ielusc

>>  Joinville - Terça-feira, 30 de novembro de 2021 - 06h11min   <<


chamadas

Matéria 1063, publicada em 12/04/2005.


Novos serviços não são utilizados

Pricilla Back

O histórico de problemas envolvendo a rede bonja provocou o descrédito por parte dos alunos. Talvez por isso os novos serviços criados pelo Setor de Comunicação e Recursos Digitais (Secord) sejam pouco acessados. O custo com pesquisas, funcionários e programas pode estar sendo desperdiçado. Nem alunos nem professores utilizam a rede. Para a coordenadora do Secord, Maria de Fátima Zavaris, esse “histórico” pode ser um dos motivos, porém não é o principal. “Os alunos buscam o site para assuntos específicos; como o boletim, por exemplo”, diz ela. Um outro motivo na visão de Fátima pode ser a falta de divulgação, pouca utilização pelos professores e ainda desinteresse dos alunos. Com a melhora e a expansão dos serviços oferecidos, ela acredita que haverá um aumento na procura por essas novas rotinas.

Ao entrar na instituição o aluno recebe um endereço de e-mail vinculado ao número da matrícula, o mesmo que é usado para fazer o “login” na rede. Isso possibilita a visualização das pastas pessoais através de um novo mecanismo, o “web disco”. A idéia é facilitar o acesso aos trabalhos feitos nos laboratórios sem que haja a necessidade de usar as dependências da instituição. Os novos procedimentos estão disponíveis desde o início do ano, quando foram feitos ajustes na rede. Para utilizá-los basta acessar a conta de e-mail.

Além do web disco, são oferecidas listas de e-mail de professores que podem ser utilizadas para o envio de avisos e outros. Também já funciona o e-mail de grupos, que pode ser dividido por disciplinas. Se o aluno prefere usar outra conta de e-mail, tem a opção de redirecionamento. Assim, não deixa de receber os e-mails enviados pela instituição. O setor de informática ainda possibilita aos alunos colocar sua página pessoal dentro do portal do Ielusc.

É objetivo do Secord disponibilizar o download do diretório público da rede, possibilitando dessa maneira o acesso aos materiais arquivados pelos professores nas pastas dos cursos. Os funcionários estão trabalhando para colocar no ar os serviços de alteração de senha, mudança no cadastro (alteração de endereço, telefone), segunda via de boleto bancário e também se estuda colocar no site uma espécie de “espelho reduzido” do histórico (matérias pendentes, validadas).

Funciona hoje um método para fazer reclamações sobre problemas nas máquinas ou softwares, chamado Serviço de Apoio a Microinformática (SAM). Basta acessar o link do SAM que fica no portal da instituição, preencher os dados (nº da matrícula e senha) e digitar a ocorrência. Esse boletim facilita o trabalho do Secord. Depois de feito o boletim, a pessoa que fez a reclamação receberá um e-mail informando sobre a resolução do problema.

Fátima explica que aos poucos será feita a troca de todos os programas por softwares livres, que não dependem de licença. Caso haja dificuldade de adaptação aos novos aplicativos, os funcionários estarão dispostos a treinar professores e alunos. Quem tem dificuldade em trabalhar com o Open Office pode procurar o “pessoal da informática” para obter informações. Além disso, eles também disponibilizam a instalação do Open Office para quem quiser trabalhar com ele fora do Ielusc.

A coordenadora comunica que o setor de recursos digitais está buscando novas tecnologias para melhorar o trabalho dos alunos. É necessário, porém que haja interesse dos alunos em usar esses serviços.

800x600. ©2005 Agência Experimental de Jornalismo/Revi & Secord/Rede Bonja.